Arquivo de fevereiro \22\UTC 2010

Vídeos com HTML 5 e a nova guerra dos browsers

Post movido para: http://blog.guilhermegarnier.com/2010/02/videos-com-html-5-e-a-nova-guerra-dos-browsers/

No final do século 20, a disputa entre os dois browsers mais populares da época, Netscape e Internet Explorer, ficou conhecida como guerra dos browsers. Nos últimos anos, após um período negro de domínio do IE, outros browsers começaram a crescer e recuperar o espaço que era ocupado pelo falecido Netscape.

Mais recentemente, desde o ano passado, os browsers mais modernos começaram a dar suporte ao HTML 5 – o Firefox, por exemplo, suporta desde a versão 3.5. Entre diversas novidades, o recurso mais popular do HTML 5 é a tag video, que permite a execução de vídeos sem o uso de plugins. A imensa maioria dos sites de vídeo usam Flash, que é uma tecnologia proprietária, e não é suportada em plataformas como o iPhone/iPod Touch. Porém, juntamente com esta nova tag surgiu uma polêmica.

No mês passado, o Youtube – seguido posteriormente por outros sites de vídeos – anunciou que começaria a oferecer vídeos em HTML 5, porém usando o codec H.264. Apesar de suportar HTML 5, o Firefox não tem suporte a este codec, pelo fato de ele ser proprietário, e exigir o pagamento de licenças caríssimas. O Firefox suporta somente o codec OGG Theora, que é open source. Esta atitude do Youtube criou uma grande polêmica: por que eles deixariam de usar uma tecnologia proprietária (Flash) para adotar outra igualmente proprietária (H.264)? O uso de HTML 5 deixa a impressão de que o Youtube partiu para tecnologias abertas, mas isto não ocorreu, devido ao codec escolhido.

Enquanto isso, o Safari (incluindo aí o iPhone) suporta o codec H.264, mas não suporta Theora; o Google Chrome suporta ambos os formatos; o Opera começará a suportar vídeos com codec Theora a partir da versão 10.50; e o IE 8 nem suporta HTML 5, criando um cenário totalmente heterogêneo. Um dos problemas desta divisão é que começamos a nos distanciar da padronização – que é o objetivo principal do W3C – e criar um ambiente onde cada browser suporta diferentes formatos de vídeo, retornando à época da guerra dos browsers, onde dificilmente uma página era igualmente visualizada no IE e no Netscape. Outro problema é que, como o Firefox não consegue exibir os vídeos em HTML 5 do Youtube, muita gente diz erradamente que o Firefox não suporta HTML 5, quando na verdade é um problema de codec.

A solução para os desenvolvedores é oferecer seus vídeos em mais de um formato, multiplicando, desta forma, o espaço necessário e o trabalho de codificação dos vídeos. O Video For Everybody ajuda a resolver este problema, oferecendo um trecho de código HTML que deixa a cargo do browser a escolha da opção mais adequada – se o browser suportar HTML 5 e Theora, este vídeo será exibido; se suportar HTML 5 e H.264, usará este formato; caso contrário, usará o plugin de Flash ou QuickTime, caso estejam instalados. Em último caso, exibe uma imagem do vídeo com um link para download. Esta solução exige o armazenamento do vídeo em dois formatos, mas parece uma boa solução diante de tantas variantes.

Referências:


@guilhermgarnier

Estatísticas

  • 56,289 hits
Linux Counter

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.